domingo, 6 de novembro de 2016

CEM ANOS



Há uns dias a minha avó/mãe fez a linda idade de cem anos!
E como eu amo esta avó/mãe.

Não sei se já vos disse, mas eu nasci no Alentejo. Região que amo de coração e que adoro visitar.
Nasci, fruto do amor do meu pai e da minha mãe, consumado antes do casamento. Que, para a década em que vim ao mundo, era considerado algo escandaloso.
 Nasci na casa da minha avó materna, com a ajuda da parteira e num dia de um grande nevão, segundo a minha mãe, no dia 06 de Dezembro. Impaciente (característica do signo a que pertenço), como sou, nem esperei que a minha mãe chegasse ao fim do tempo, e resolvi nascer de sete meses.
Sendo a primeira filha, prematura ainda por cima, fui criada com todos os mimos e cuidados na casa da minha avó.
Não sei exatamente em que altura, os meus pais, como todos os jovens daquela época, migraram para Lisboa e eu vim junto. No entanto, como não "me dava com os ares de Lisboa", com dois anos, voltei para junto dos meus avós.
Vivi no Alentejo até ao sete anos e só saí de lá para ir à escola. Devo dizer que, nessa altura, fiz a transição de localidade muito contrariada e fiquei aliás muito zangada com os meus pais.
Lá é que eu era feliz. Lá, é que estavam os meus avós/pais, que tanto adorava.
Passado um ano, sofri o meu segundo desgosto: o meu avó faleceu de cancro nos pulmões. No entanto, a minha avó continuou a morar no Alentejo, juntamente com os meus tios e primas.
Quando tinha dez anos, o meu irmão mais novo nasceu e a minha avó veio morar connosco para tomar conta de mim e dos meus irmãos, enquanto os meus pais iam trabalhar.
A partir daí, nunca mais nos deixou e tem vivido sempre connosco. Sempre ajudou os meus pais, os meus tios. Sempre foi um pilar para nós.

Agora comemorou 100 anos de vida! Cem anos de vida, de uma vida que não foi nada fácil!
De muita luta e sacrifício, de muito amor e determinação!
Nunca ficou a lamentar-se ou triste a um canto. Sempre agradeceu e fez tudo o que podia. Perdeu o marido, as irmãs e um filho. Mas não perdeu a força! Era uma mulher de garra! É a minha avó/mãe!

Agora já está acamada, mas ainda tem noção do local onde está, das pessoas com quem fala e da sua idade. A minha mãe, também, a estima muito. Tem sido uma filha exemplar.Trata dela pessoalmente. com todos os cuidados e muito amor. Não a colocou num lar, nem o conseguiria fazer.

Tal como a minha avó cuidou de nós quando precisamos e éramos pequenos, dependentes de tudo e de todos. Também ela merece que tomemos conta dela. Ela está e continuará connosco até ao fim dos seus dias!

Amo-te muito Avó/mãe!


8 comentários:

  1. Uma deliciosa partilha que me remete a um único dizer.. Abençoada senhora e aos seus 100 anos de vida. Ouso dedicar à senhora, com o devido respeito, um bj...nho muito terno. E para si, Serena, também um bj...nho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Sérgio! Votos de um bom domingo! Beijinhos Serena

      Eliminar
  2. Que beleza fazer 100 anos se se está bem! Que ela fique bem, enquanto der! Parabéns! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Chica! Beijinhos e bom domingo. Serena

      Eliminar
  3. Oh! Tão bonito esse amor. Parabéns a todos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada GM! Bom dia e boa semana. Beijinhos Serena

      Eliminar
  4. OLÁ
    Vindo aqui pela primeira vez amei essa idade de tanta felicidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Brisa, muito obrigada por ter vindo a este meu cantinho e deixar seu comentário! Seja muito bem vinda. Beijinhos Serena

      Eliminar