domingo, 11 de setembro de 2016

A sua vida....





Ela sentou-se no degrau da escada e entreteve-se  a remexer a terra com a ponta do sapato....
Deixou-se ficar naquela paz.... Só mais um pouco .... Ela só precisava de mais um pouco de tempo ... Depois recuperaria e teria forças para continuar ..... A sua vida não fora a que escolhera, mas era a sua vida. E não se importava..... Pelo menos tinha uma parte dele consigo.... O seu amor não tinha ficado lá atrás, parado no tempo, sem ter a que se agarrar ... Estava sempre com ela...
O Jaime era um menino de cinco anos. Um menino que fora o resultado do seu amor pelo João. Não tinha sido uma gravidez desejada, mas foi logo muito amado pelos dois.
Ela e o João tinham planeado tudo. Ela ficaria em casa, pelo menos, até o Jaime entrar para a escola e o João aceitaria o novo emprego, onde o ordenado era bem simpático e dava para sustentar os três.
Mas o destino não quis assim. Não a deixou ser feliz.... Ser completa .... . roubou-lhe um pedaço dela.... O João morreu num desses terríveis acidentes de viação acerca de um ano. Não havia ninguém a quem atribuir a culpa.... O carro despistou-se numa curva da estrada e caiu numa ravina. Os médicos disseram que não sofrera, que a morte foi imediata. Morte imediata.... Desde quando, saber que alguém que partiu, não sofreu, diminui a dor de quem fica e tem de conviver com a ausência, com o vazio..... Ela bem o sabia, bem o sentia....
 Mas não podia deixar-se levar pela tristeza. O Jaime precisava dela .... E durante este tempo todo, continuou  com a vida. Tentou que fosse o mais normal possível.  Mas às vezes .... Precisava de parar, de respirar.... Precisava desses momentos com o João. Momentos estes, em que lhe relatava a evolução do Jaime, o dia-a-dia e lhe pedia conselhos. Pedia que a orientasse nas escolhas que fazia.
E estas alturas, sentia que ele a ouvia, que a acompanhava....
Sempre que terminava a conversa com o João, aparecia uma borboleta branca. Ao princípio, não prestou atenção.... Depois, achou coincidência e engraçado.... Agora tinha a certeza. Ele estava com ela e acompanhava o crescimento do Jaime.
Não, não era a vida que sonhara e que planeara, mas era a dela! Levantou-se e subiu as escadas! Respirou fundo! Já tinha as suas forças de volta e estava pronta para enfrentar o dia seguinte!

Mais um conto!  Espero que gostem!
E por aqui me fico!
Fiquem Bem!













6 comentários:

  1. Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Obrigada por me visitar. Beijinhos Serena

      Eliminar
  2. Amarguras de uma vida que no entanto, encantam. E porquê.?? Tão simples quanto a simplicidade de um texto escrito por quem ama escrever!! Parabéns, Serena! bj...nho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem verdade que adoro escrever! Um prazer que tenho descoberto todos os dias, desde que tenho o blog. Obrigada, Sérgio! Beijinhos

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Obrigada Lena! Ainda bem que gostou. Beijinhos Serena

      Eliminar